domingo, 24 de junho de 2018

Os primeiros vereadores eleitos em japi


Eis os vereadores desta legislação:

Geraldo Anselmo Pinheiro, Francisco Medeiros Sobrinho, Pedro Araújo de Medeiros, Francisco Jodoval de Medeiros, Edith Simões Fernandes, Manoel Vareliano, João Tavares de Souza, Luís Tavares e Antônio da Costa de Medeiros.


O primeiro presidente da Câmara Municipal e o primeiro suplente que assumiu

Naquela época quem assumia a presidência da Câmara era o vice-prefeito eleito. Por isso, o primeiro presidente da Câmara Municipal[1] de Japi foi Manoel Medeiros Filho (pai de Francisco Medeiros Sobrinho), que, de acordo com a legislação vigente na época, o presidente permanecia no cargo até o final do período legislativo (1º e 2º biênios).
No dia 11 de abril de 1961, foi apresentado no plenário da Câmara Municipal, um requerimento de autoria do então vereador Pedro Araújo de Medeiros. Sendo esse documento, o primeiro requerimento a ser exposto para votação na casa legislativa de Japi. Por meio desse documento ele requeria à Câmara licença de 30 dias para fins de tratamento de saúde. Quem assumiu o lugar do vereador foi o seu suplente, José Paulino, conhecido por Deca Paulino ou “Meu Brasil”.



O primeiro mandato dos vereadores de Japi teve início em 22 de janeiro de 1960 e findou em 21 de janeiro de 1964. Segundo as atas que estão nos arquivos da Câmara, houve eleição no dia 1º de dezembro de 1964, só para a escolha de vereadores.


Eis os vereadores desta legislação:

Josefa de Araújo Lima, Paulo Pinheiro Tavares, Benedito Joaquim de Lima, Manoel Nicolau dos Santos, Luiz Tavares da Silva, Paulo Alípio de Pontes, Antônio Martins do Nascimento, Francisco Jodoval de Medeiros, João Lindolfo de Lima e Oliveira Alves Teixeira.


A campanha de 1963                                     

Em 1963, Pedro Tolentino de Medeiros apoiou Geraldo Anselmo Pinheiro, candidato a prefeito. E como a popularidade de Geraldo estava em alta, ninguém pôde enfrentá-lo naquela campanha. Josefa de Araújo Lima quase tentou, porém logo desistiu. Negociou o cargo de vice-prefeito para seu genro Aristides Nicolau.
Dizem que na eleição de 1963 havia um grupo de políticos que não queria apoiar Geraldo Anselmo Pinheiro, porque ele não era da família Medeiros. Embora houvesse esse grupo, para o então prefeito Pedro Tolentino de Medeiros só lhe restava uma alternativa: cumprir o que prometeu (apoiar Geraldo a prefeito).
O prefeito não tinha esquecido a grande votação que Geraldo obteve na eleição de 1959, e que ele era o pré-candidato mais preferido pela maior parte da pulação de Japi naquele momento, por isso, Pedro Tolentino de Medeiros decidiu apoiá-lo definitivamente, na eleição de 1965. Percebe-se um ranço de desentendimento político enraizando-se entre as famílias, gerando inconformismo político.
A eleição para os cargos de prefeito e vice-prefeito foram realizadas no dia 24 de janeiro de 1964, e como já se esperava, Geraldo Anselmo Pinheiro foi eleito para o cargo de prefeito e Aristides Nicolau de Pontes, para vice-prefeito.
Presidente da Câmara Municipal de Japi da legislatura de 31 de janeiro de 1965 a 31 de dezembro de 1969: Aristides Nicolau. Vale dizer, que nessa campanha houve apenas uma chapa.


Essa e outras muitas Histórias sobre o nosso Município você encontra no livro Japi Terra Querida, em fatos e fotos, escrito pelo professor Edson Batista.


O livro encontra-se a venda nos seguintes endereços:

Livraria Felix, Rua Manoel Medeiros;
Residência do Autor, Rua Manoel Medeiros, Nº59; Telefone: 98754-3576
Blog Japi em Foco, Rua Clara Nunes, 75;
Blog Joabson Silva, Madrinha Salvina;
Em Santa Cruz, você irá encontrar:
 Na livraria Educativa, na Praça Coronel Mergelino, centro.





[1] Segundo Mauro Pinheiro, na eleição realizada em 1959, o vereador eleito Geraldo Anselmo Pinheiro obteve mais votos do que o prefeito eleito. O juiz eleitoral da época era o Dr. Danilo.