terça-feira, 29 de maio de 2018

Uma das maiores Japienses

Conheça um pouco sobre uma das maiores Japienses de todos os tempos;  Severina Pontes de Medeiros, simplesmente “Mãe Biana ou Mãe da Pobreza”.

A senhora Severina Pontes de Medeiros, conhecida em Japi pelo nome de (Mãe Biana), é filha de José Zuca de Pontes e de Josefa Tavares de Pontes. Segundo dona Rita de Nuca, ela nasceu no ano de 1912, na localidade do Sítio Canoas e se casou com o major Pedro Tolentino de Medeiros, filho do coronel Manoel José de Medeiros, no ano de 1928. E tiveram 11 filhos, a saber:

   Francisco Jodoval de Medeiros,
   Francisco Nilton de Medeiros,
   Francisco Adésio de Medeiros (Neno),
   Francisco Teobaldo de Medeiros (Titito),
 – Francisco Xavier de Medeiros,
 – Francisco Carlos de Medeiros,
 – Francisca Amelina de Medeiros,
 – Francisca de Medeiros (Niná),
 – Francisca (Tinca)
– Francisca Lindalva de Medeiros (Francinete),
  Francisca Eliane de Medeiros.
Mãe Biana ficou conhecida também como a “mãe da pobreza”. Vale ressaltar que, da década de 1940 até o ano em que faleceu, ela foi, evidentemente, uma verdadeira mãe.
Pois ela ajudou a criar quase todos os pobres da cidade, daquela época. Alimentou a todos que chegou a sua casa. A informante Rita de Nuca era a cozinheira da casa dela. Ela afirma, com toda convicção, que todos os dias na casa de Biana havia um verdadeiro banquete. E que, no final do dia, levava para sua casa muito alimento que sobrava das refeições da casa do major Pedro e dava às suas vizinhas (pessoas pobres que moram perto da senhora Rita de Nuca).

Rita disse ainda, que se fosse necessário a senhora Biana sair por algum motivo durante a visita de alguém a sua casa, e se por acaso quando voltasse essa pessoa não se encontrasse mais na sua residência, ela perguntava: “Cadê aquela pessoa que estava aqui?” E mandava procurá-la e chamá-la onde quer que a estivesse para vir comer junto com ela em sua mesa.

Segundo a informante, quando ela estava prestes a morrer, já acamada, dizia sempre todos os dias: “Não deixe de dar comida para os pobres de minha cidade, Rita. Chame eles para vir comer aqui”.

Entre tantos gestos de bondade de Mãe Biana, quero chamar a atenção de você, estimado leitor, para um caso que foi citado por dona Rita de Nuca. Ela me disse que quando uma pobre da cidade paria, Mãe Biana mandava comprar o que aquela mulher precisava e mandava para ela. Por isso e muito mais, é que as autoridades do município a homenagearam pondo o seu nome em uma rua de nossa cidade: Rua Mãe Biana. Mais, a escola de Ensino Médio recebeu seu nome, Escola Estadual Severina Pontes de Medeiros.
Vale lembrar que seu esposo, Pedro Tolentino de Medeiros, foi o primeiro prefeito eleito pelo voto do povo, e seu filho Francisco Adésio de Medeiros foi eleito duas vezes prefeito de Japi.

Severina Pontes de Medeiros, durante o tempo que viveu conosco demonstrou com suas atitudes um exemplo de amor, solidariedade e bondade para com todos os filhos de Japi. Essas características significam os maiores legados que ela deixou para com os filhos desta terra. Uma das maiores virtudes dela era acolher todo mundo em sua casa sem discriminação. Para ela, tanto fazia ser rico e famoso como ser pobre. O jeito que ela tinha de receber e tratar as pessoas era igual para todas: com prazer e alegria.




Essas e outras Histórias sobre a nossa cidade você encontra no Livro: JAPI TERRA QUERIDA, EM FATOS E FOTOS.

O livro encontra-se a venda nos seguintes endereços:
Livraria Felix, Rua Manoel Medeiros;
Residência do Autor, Rua Manoel Medeiros, Nº59; Telefone: 98754-3576
Blog Japi em Foco, Rua Clara Nunes, 75;
Blog Joabson Silva, Madrinha Salvina;
Em Santa Cruz, você irá encontrar:
 Na livraria Educativa, na Praça Coronel Mergelino, centro.