domingo, 7 de janeiro de 2018

As famílias Tavares e Pontes de Japi

Contato: telefone: (84) 98864-0788

ema-il: edsonbatista039@gmail.com



O livro será lançado dia 12/01/2018, em uma sexta-feira, às 19:00 horas no prédio da Escola Estadual Manoel Medeiros II (Ginásio), ao lado da Igreja Católica. 

No final do século XIX, todas as terras que correspondiam à localidade do Sítio Canoas, indo até as fronteiras das cidades de Santa Cruz, Tangará, São José do Campestre e parte do Sítio Salgado, pertenciam aos irmãos João e José Tavares, que são descendentes de portugueses e chegaram a esta região quando o Brasil ainda estava sob o regime imperial.
Segundo Antônio Joaquim de Pontes (Antônio Ciriaca), o seu avô José Zuca de Pontes foi a primeira pessoa pertencente à família Pontes que veio morar na localidade de Canoas; ele se casou com Josefa Tavares de Pontes, filha de Joaquim Tavares.
José Zuca de Pontes era filho do senhor Chico Pontes, no início do século XX ambos moravam na cidade de Araruna/PB. Na década de 1930, José Zuca comprou uma “data de terra” (equivalente a três léguas, ou 18 quilômetros) ao maior latifundiário de Araruna, o senhor Pedro Targino, na localidade de Canoas, seguindo em direção ao Sítio Salgado. Em 1937 construiu a capela do Sítio Canoas, ao lado esquerdo de sua residência, na qual mora atualmente o seu neto Antônio José de Pontes (Antônio Ciriaca), o informante, no ano de 2006.                                                                        

Do matrimônio de José Zuca de Pontes com Josefa Tavares de Pontes surgiu uma grande família que tem como sobrenomes Pontes e Tavares. Entre tantos, podemos citar os nomes de Severina Pontes de Medeiros (Mãe Biana, mãe do ex-prefeito Neno Medeiros), Francisco José de Pontes, Marcionília Tavares de Pontes, Rita Cândido de Pontes e Maria Senhora de Pontes, mãe de Aristides Nicolau pai e do professor Roberto César.


1.11.24 Severina Pontes de Medeiros

A senhora Severina Pontes de Medeiros, conhecida em Japi pelo nome de (Mãe Biana), é filha de José Zuca de Pontes e de Josefa Tavares de Pontes. Segundo dona Rita de Nuca, ela nasceu no ano de 1912, na localidade do Sítio Canoas e se casou com o major Pedro Tolentino de Medeiros, filho do coronel Manoel José de Medeiros, no ano de 1928. E tiveram 11 filhos, a saber:
 –  Francisco Jodoval de Medeiros,
 –  Francisco Nilton de Medeiros,
 –  Francisco Adésio de Medeiros (Neno),
 –  Francisco Teobaldo de Medeiros (Titito),
 – Francisco Xavier de Medeiros,
 – Francisco Carlos de Medeiros,
 – Francisca Amelina de Medeiros,
 – Francisca de Medeiros (Niná),
 – Francisca de Medeiros (Tinca)
– Francisca Lindalva de Medeiros (Francinete),
–  Francisca Eliane de Medeiros.

Mãe Biana ficou conhecida também como a “mãe da pobreza”. Vale ressaltar que, da década de 1940 até o ano em que faleceu, ela foi, evidentemente, uma verdadeira mãe.
Fonte: Foto do acervo da família Medeiros 1975, (Severina Pontes de Medeiros, Mãe Biana).

Imagem relacionadaNeno Medeiros ex-prefeitoPois ela ajudou a criar quase todos os pobres da cidade, daquela época. Alimentou a todos que chegou a sua casa. A informante Rita de Nuca era a cozinheira da casa dela. Ela afirma, com toda convicção, que todos os dias na casa de Biana havia um verdadeiro banquete. E que, no final do dia, levava para sua casa muito alimento que sobrava das refeições da casa do major Pedro e dava às suas vizinhas (pessoas pobres que moram perto da senhora Rita de Nuca).
Rita disse ainda, que se fosse necessário a senhora Biana sair por algum motivo durante a visita de alguém a sua casa, e se por acaso quando voltasse essa pessoa não se encontrasse mais na sua residência, ela perguntava: “Cadê aquela pessoa que estava aqui?” E mandava procurá-la e chamá-la onde quer que a estivesse para vir comer junto com ela em sua mesa.
Segundo a informante, quando ela estava prestes a morrer, já acamada, dizia sempre todos os dias: “Não deixe de dar comida para os pobres de minha cidade, Rita. Chame eles para vir comer aqui”.
Entre tantos gestos de bondade de Mãe Biana, quero chamar a atenção de você, estimado leitor, para um caso que foi citado por dona Rita de Nuca. Ela me disse que quando uma pobre da cidade paria, Mãe Biana mandava comprar o que aquela mulher precisava e mandava para ela. Por isso e muito mais, é que as autoridades do município a homenagearam pondo o seu nome em uma rua de nossa cidade: Rua Mãe Biana. Mais, a escola de Ensino Médio recebeu seu nome, Escola Estadual Severina Pontes de Medeiros.
Vale lembrar que seu esposo, Pedro Tolentino de Medeiros, foi o primeiro prefeito eleito pelo voto do povo, e seu filho Francisco Adésio de Medeiros foi eleito duas vezes prefeito de Japi.
Severina Pontes de Medeiros, durante o tempo que viveu conosco demonstrou com suas atitudes um exemplo de amor, solidariedade e bondade para com todos os filhos de Japi. Essas características significam os maiores legados que ela deixou para com os filhos desta terra. Uma das maiores virtudes dela era acolher todo mundo em sua casa sem discriminação. Para ela, tanto fazia ser rico e famoso como ser pobre. O jeito que ela tinha de receber e tratar as pessoas era igual para todas: com prazer e alegria.

1.11.25 Dona Estelina Nicolau e o Sr. Tomás Fagundes


Dona Estelina é filha de João Nicolau dos Santos. Ela é irmã de Aristides Nicolau e esposa do senhor Tomás Fagundes. Ela teve onze filhos, que foram: José Fagundes (Curtim), Maria Helena, Manoelzinho, Francisquinho, Antônio, Geraldo, Cornélio, Sandra, Cesar, Chiquinha e Marli, a mãe de Jarlândo.
Estelina ficou muito conhecida no município de Japi, por ter se dedicado a ajudar as pessoas que sofriam com enfermidades. Quando adoecia uma pessoa na comunidade, ela se compadecia dando apoio: conforto e solidariedade. Nessa vocação, ela atuou até quase os noventa anos, quando não tinha mais força e condição física. Quando podia, ela tratava dos enfermos dando-lhes banho, comida, vestuário e remédio. Só deixava de frequentar a casa do doente quando ele ficava curado ou quando falecia. Caso o enfermo morresse, ela cortava e costurava a mortalha, e às vezes vestia-a no defunto. Também, ela ficava confortando os familiares e rezando pelo defunto e acompanhava o funeral até o cemitério.      

Ela disse que assistiu a morte de quase todas as pessoas mais antigas de Japi, e que também por muitas vezes, visitava a família enlutada, confortando-a. Desde a sua juventude até ao final do século XX, essa foi a sua missão. Até mesmo quando morria alguém no Sítio Salgado ela ia dá apoio à família do falecido. Quando não podia ir à casa do falecido ia esperar o corpo passar em certa parte do caminho.
No dia nove de fevereiro de 2017, eu e Geraldo Fagundes fomos à casa do Sr. José Fagundes (Curtim), que fica no Sítio Pedra Preta visitar a Sra. Estelina Nicolau, a mãe de Geraldo.
Na ocasião ela nos disse que cuidou do Sr. Duda até a hora da morte dele. Ela ainda disse que naquela época, o então prefeito Geraldo Anselmo Pinheiro ajudou muito no tratamento do saudoso Duda, o pai do atual prefeito, Jodoval Ferreira de Ponte, dando-lhe alimento, remédio e levou ele por várias vezes até a cidade do Natal. A informante afirma que por vezes Duda fugia do hospital e chegava a sua casa onde ficava por vários dias. Segundo Estelina, quando ele chegava dizia: “Tomás! fugi do hospital de Natal”. Isto ocorreu a mais de quarenta anos.
Não podemos esquecer a pessoa do saudoso Tomás Fagundes, esposo de Dona Estelina. Ele nos alegrava muito tocando no seu fole. Ele tinha como companheiro de farra, o Mestre Oliveira, que também gostava de tocar um fole.

Resultado de imagem para roberto cesar japiDiretor da E. E Cel. Medeiros IIO senhor, Aristides Nicolau é natural de Japi. Ele é filho do saudoso João Nicolau e de Dona Maria Senhora de Pontes. Aristides Nicolau nasceu no sítio “Tubiba”. Casou-se com a jovem, Maria Joséde Medeiros Pontes. Desse matrimônio nasceram dois filhos: Alberto de Medeiros e Roberto César de Medeiros, que é diretor da Escola Estadual Coronel Manoel Medeiros II. Aristides mora na Rua Manoel Medeiros, vizinha à casa de Maria de Lourdes de Medeiros. Vale ressaltar que Lourdes é irmã gêmea de Maria José de Medeiros.
 
Referindo-se ao cowboy, Aristides Nicolau, muitas pessoas da região do Trairi o consideram um mito da vaquejada. Dizem que ele era realmente muito famoso. Não é de admirar que, ainda hoje, se você chega a algum lugar muito distante daqui, na Paraíba, Ceará ou mesmo em qualquer parte do nosso Estado, e falar que mora em Japi, muitas pessoas vão lhe perguntar se conhece Aristides Nicolau. Realmente, ele ficou muito conhecido devido ao grande sucesso, a ponto de tornar muito conhecido o nome de nossa cidade. Em muitas outras regiões e estados do Nordeste.                                                                                                                                        
                                                
Dizem ainda que muitas pessoas iam à vaquejada só para conhecê-lo. E, quando ele chegava, e anunciavam o nome dele, a multidão imediatamente se agitava e corria para cima da cerca para o ver correr no cavalo e derrubar o boi. Era muito amigo de todos, muito alegre e brincalhão. É alto, moreno, bonito e, quando jovem, parecia um tipo galã do cinema de Hollywood. Vale ressaltar que os anos de sucesso foram nas décadas de 1960 e 1970.
Pessoas que se destacaram contribuíram e contribuem para o desenvolvimento da cidade:
---Francisco Adésio de Medeiros foi prefeito de Japi durante 10 anos.
---Severina Pontes de Medeiros (Mãe Biana), mãe do ex-prefeito Neno Medeiros.
---Francisco Teobaldo de Medeiros, vereador por várias vezes, presidente e vice-prefeito de Neno Medeiros no primeiro mandato do então prefeito.
---Valério Medeiros, bioquímico.
---Aristides Nicolau, Vice-prefeito e, também é considerado o mito da vaquejada do RN, nas décadas de 60 e 70 do século passado.
---Epitácio Nicolau, vereador por várias vezes e presidente da Câmara.
Demais vereadores: Vital Pontes, Paulo Pinheiro Tavares, Luiz Tavares da Siva, Paulo Alípio de Pontes presidente, Francisco Jodoval de Medeiros presidente, José Tavares da Silva presidente, Mauro pinheiro Tavares presidente, José Sanderson Tavares presidente, Tereza Maria de Araújo Pontes, José Eliu de Medeiros presidente, Pedro Medeiros Neto vereador e Pedro Paulo, filho de Vital Pontes, vereador e advogado.
---Gorete Piheiro: secretária de educação, diretora e professora.
---Cândida Pinheiro é professora.
---Fátima Pinheiro trabalha na saúde.
---Cleiton e Humberto são professores.
---Miguel é enfermeiro.
--- Francisco Xavier de Medeiros; Proprietário.
---Antonieta Pontes de Medeiros; ex-prefeita.
--- Sânzia Medeiros; ex-vice-prefeita.
---Ivanilson Medeiros; então vice-prefeito.
A imagem pode conter: 7 pessoas, pessoas sorrindo
Irine Pinheiro, Maria Noêmia, Gorete Pinheiro,  Fátima Pinheiro, Candida Pinheiro, Fátima Pinheiro e Cici Pinheiro.