quinta-feira, 7 de setembro de 2017

A PRIMEIRA BANDA DE JAPI E A DETERMINAÇÃO DE EDSON BATISTA

Segundo Edson Batista, a comemoração do dia sete de setembro teve seu início efetivamente, entre as décadas de 70 a 80 do século passado, no nosso município. Vale dizer, que antes, a professora Francisca Amelino de Medeiros sempre fez algumas comemorações interna na escola em que trabalhava na semana da Pátria. Porém, essas comemorações envolvia apenas hasteamento de bandeiras e cantos de hinos: da independência, da Pátria e do Brasil. Sabe-se, que na década de 80 ao ano 2000 organizaram alguns pequenos desfiles. Esses desfiles eram acompanhados por alguns instrumentos musicais como: Três bombos, duas caixas e um “tarô”. 


Fonte: Foto do acervo do autor  (primeiro desfile com instrumentos da banda de Edson).

           O desfile da Semana da Pátria que mais marcou época foi a que ocorreu no ano de 2000, quando o professor Edson Batista dos Santos inovou de fato essa comemoração cívica e cultural para nossa cidade de forma mais moderna e abrangente. Naquele dia (dia 7 de setembro) houve um verdadeiro sentimento e um espírito cívico e patriótico com participação de todas as escolas da rede municipal: da Zona Urbana e Rural. Até o então as comemorações não abrangiam todo o município. Também, naquele dia, as autoridades presentes se regozijaram e as milhares de pessoas na praça aplaudiram e ficaram felizes com a tamanha apresentação e organização daquele evento. Foi então, a partir daí, que a comunidade escolar e os governos se envolveram com mais investimento e apoio no sentido de haver uma grande festa cívica todos os anos na semana da pátria, a saber, no dia 07 de setembro.  Hoje, de fato é a maior festa do município.
Vale salientar, que para esse sucesso acontecer no ano de 1999, Edson Batista, que além de professor, nesta época exercia o cargo de vereador conseguiu através de sua luta na política uma banda marcial para o município. Essa foi a primeira banda de Japi e  era composta por 27 instrumentos.
O ex-vereador foi de fato um verdadeiro herói inteligente, determinado e persistente. Todavia, quando a banda chegou à cidade faltavam apenas quinze dias para o dia 07 de setembro. E, por causa disso, alguns professores diziam que era melhor desistir de fazer o evento. Porém, o professor Edson levantou a cabeça e foi à frente. Tomou a iniciativa, fez logo uma reunião e começou a ensaiar. Para tanto, ele foi maestro e treinador dos alunos que tocaram nos instrumentos naquele dia; mapeou as ruas da cidade por onde ia passar o desfile, especificamente no setor a frente do palanque onde ficaram as autoridades aonde findou o desfile e as comemorações.
Naquele dia, ao findar o desfile, de cima do palanque, todas as autoridades que discursaram agradeceram-no e aplaudiram-no o principal dirigente daquele bonito e maior evento de desfile cívicos da cidade até o então.
Edson falou que participaram dessa organização toda a comunidade educativa: professores, alunos, diretores e pais de alunos. Não houve participação do poder público nas confecções de alegorias e nem em outro seguimento do desfile.
Vale saber também, que Edson dirigiu todo o evento e ainda filmou. Fonte: arquivos do professor Edson em fita cassete (1999).
Os três maiores e mais interessantes desfiles cívicos da semana da pátria que já se realizou na nossa cidade ocorreram nas seguintes datas: 07 de setembro de 1975; 07 de setembro.


de 1999  e 07 de setembro de 2014. 1º em 1975, quando funcionava a modalidade de ensino supletivo, conhecida pelo Movimento Brasileiro de Alfabetização (MOBRAL).

Fonte: Foto Blog Japi em Foco. (Com a faixa: Madrinha Salvina e a mãe de Maria de fulô e ao lado D. Xixi).

Nesse dia desfilaram quase todos os representantes de seguimentos da cidade: Do MOBRAL, do “funrural” (os aposentados), as parteiras, os trabalhadores rurais levando suas ferramentas de trabalho nas mãos; os estudantes e demais alas levando uma faixa; 2º em 1999, quando se caracterizou até o então pela sua modernidade e com seus estilos alegóricos confeccionados pelos professores. Quando também participou pela primeira vez todas as localidades da zona rural do município, com uma excelente participação da primeira banda que chegou à cidade, que foi trazida pelo professor Edson Batista. 

Resultado de imagem para desfile cívico de japi
                              Desfile 2014 Foto: Paulo de Japi

Vale dizer, que nesta época já funcionava o ginásio que hoje é representado pelo Ensino Fundamental; em 3º em 2014, quando toda a comunidade educacional organizou o maior desfile cívico da história, cujo foi registrado nas lentes do professor Edson Batista. Arquivo do professor Edson Batista registrado também nos blogs da cidade.


 Fonte: Foto Blog Japi em Foco (No centro Maria Cassiano, aos lados: Ivonete e Maria José, Neuza, Antônio Lourenço, Mulher de Simbico, Telvina, Nô Birico, Mariquinha, Mãe de Maria de Biu, pai de Israel e outros).

No final da década de 70, havia um bode que não perdia um desfile cívico na cidade. Trata-se do bode de dona Sinhá. Bastava bater no bombo que ele se agitava no muro da dona dele. Quando dona Sinhá via isto acontecendo abria imediatamente a porta do muro e o bode saia em direção de onde estava surgindo o batuque do bombo. Então, ele acompanhava o desfile até terminar. Quando terminava uma pessoa ia deixa-lo na casa de dona Sinhá.


                                      


Fonte: Foto Blog Japi em Foco ( O bode de Dona Sinhá desfilando ).