sábado, 15 de abril de 2017

Seis estádios da Copa registram suspeitas de propina

IMG_0333
Seis dos 12 estádios da Copa do Mundo 2014 têm suspeitas de irregularidades, segundo delações de membros da Odebrecht. As arenas que estão envolvidas no esquema são: Maracanã (RJ), Itaquerão (SP), Arena Pernambuco (PE), Mané Garrincha (DF), Manaus (AM) e Castelão (CE).
O inquérito referente à Arena Corinthians seguirá no Supremo Tribunal Federal (STF), com análise do ministro Luiz Fachin. Os demais devem ser investigados por outras instâncias.
Brasília e Pernambuco
Da construção do Estádio Mané Garrincha (o mais caro da Copa), passando pelo projeto do BRT que cortaria o Plano Piloto de Brasília, até a sede de R$ 6 bilhões para centralizar o governo do Distrito Federal e seus 13 mil servidores, tudo foi alvo de fraude no processo licitatório, com combinações de preços e pagamentos de propina para executar as obras.
As afirmações foram feitas pelos delatores e ex-executivos da Odebrecht, Ricardo Roth Ferraz e João Antônio Pacífico.
Havia uma combinação constante entre a Odebrecht e a Andrade Gutierrez sobre quem venceria determinada licitação, relevaram os delatores. A Andrade queria vencer o leilão do Mané Garrincha. Para simular uma concorrência, chamou a Odebrecht para oferecer um valor maior pelo projeto. Dessa forma, a Andrade venceu. Em contrapartida, a Odebrecht queria assumir as obras da Arena Pernambuco. Foi a vez de a Andrade oferecer uma proposta bem mais cara, para que a Odebrecht vencesse o leilão.