sexta-feira, 17 de março de 2017

Pesquisadores do IFPB e UFPB desenvolvem tecnologia inédita no Brasil

Desde o início de 2017, o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) vem implementando ações para incentivar pesquisas nos principais eixos do Plano Nacional de Internet das Coisas e da quinta geração de telefonia móvel (5G). Neste contexto, os professores do IFPB e UFPB, Emmanuel Dupouy e Antônio Augusto, pesquisaram e desenvolveram um oscilador CMOS 50 GHz.
A intenção do MCTIC é estimular os pesquisadores a desenvolverem projetos para que, com o advento do 5G, a internet oferecida seja mais robusta e veloz. Por isso o trabalho dos professores foi direcionado para este eixo de pesquisa.
O professor Emmanuel explica que o oscilador é um circuito eletrônico presente em qualquer circuito de comunicação, como telefones celulares, aparelhos WiFi, TVs, etc. “O objeto da pesquisa era atingir especificações compatíveis com a próxima geração de celular, a 5G. E para a implementação da 5G, uma das bandas de frequências vislumbradas é situada na faixa dos 60 GHz”, pontua.
Ele acrescenta que, como essa frequência é muito alta, é difícil de trabalhar, tanto a parte de projeto como a de caracterização. “Vale destacar também que o nosso grupo é o primeiro a conceber e caracterizar um oscilador de frequência tão alta no Brasil”, frisa o docente.
IMG_7871