sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Nova Cruz prepara funeral especial para volante Gil, da Chapecoense

Resultado de imagem para gil da chapecoense
Novo Jornal – Nova Cruz começa a se preparar para o velório do volante Gil, uma das vítimas do trágico acidente com o avião da empresa Lamia, que transportava a delegação da Chapecoense para Medellín. A família do jogador acredita que o funeral deva acontecer até no máximo a segunda-feira (5).
Um veículo do Corpo de Bombeiros foi solicitado pelo 8° Batalhão da Polícia Militar, com sede em Nova Cruz, para fazer o translado com o corpo. De acordo com o Coronel Tavares, que responde pelo destacamento, a intenção é de que o veículo com o corpo do jogador faça um cortejo pelas principais ruas da cidade, antes de ser levado ao cemitério municipal.
“Conversei ontem [quarta-feira] com os comandantes dos Bombeiros e fiz a solicitação do veículo. Acredito que essa seja uma forma de homenagear o Gil, que é uma pessoa querida por todos nós”, disse o Coronel Tavares por telefone.
Ainda segundo o comandante policial, batedores da Polícia Militar irão acompanhar todo o cortejo. A área no entorno do ginásio poliesportivo Geovana de Azevedo Targino, onde o corpo de Gil será velado, será interditada para veículos. Tavares acredita que mais de 10 mil pessoas passem pelo local para se despedir do volante.
“Posso dizer que não só o povo de Nova Cruz se comoveu com essa tragédia. Há uma mobilização em toda a região agreste de pessoas que querem participar do funeral. A Polícia Militar está traçando um plano de operações para garantir que tudo ocorra dentro da normalidade”, contou o policial.
A cidade de Nova Cruz possui cerca de 37 mil habitantes. Gil nasceu em Santo Antônio, a 80 quilômetros de Natal, mas viveu toda a infância e adolescência em Nova Cruz. Foi no São Sebastião, um dos mais tradicionais clubes do município, que ele deu os primeiros passos para a profissionalização, aos 14 anos.
Antes de ser levado para Nova Cruz, o corpo de Gil será velado na Arena Condá, em Chapecó, onde a Chapecoense organiza uma cerimônia coletiva com todas as vítimas fatais do acidente que faziam parte do clube. O empresário do volante, Marcel Camilo, e a esposa do atleta, Valdécia Paiva, acompanharão o velório na cidade catarinense. Além da mulher, Gil deixa duas filhas – de dois e quatro anos.