quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Beijar na boca de um cão ou gato "Pense bem!"


Deveria pensar duas vezes antes de “beijar” o seu cão ou seu gato. Uma britânica de 70 anos teve de ser internada após ser lambida na boca pelo cão de estimação. De acordo com o relato publicado recentemente na revista científica BMJ, *a idosa desenvolveu uma grave infecção causada pela bactéria *Capnocytophaga canimorsus, presente na boca de cães e gatos.

Segundo James Wilson, do hospital da Universidade College London, na Inglaterra, os médicos não encontraram arranhões ou mordidas, formas comuns da infecção, mas a paciente relatou ter recebido lambidas do seu cão.

“Meios ocultos de aquisição demonstram que graves zoonoses podem ocorrer mesmo com ausência de mordidas e arranhões óbvios e devem ser consideradas em casos de infecção severa em donos de animais de estimação”, concluiu Wilson.

O Caso: A idosa foi encontrada por paramédicos sem sentidos dentro de casa e encaminhada ao hospital. Inicialmente, os médicos pensaram que ela tinha convulsionado, já que tinha histórico de epilepsia.

Ao chegar no hospital, ficou constatado que ela estava com hiponatremia (baixa concentração de sódio no sangue) e hipercaliemia (alta concentração de potássio no sangue). Como todos os outros indicadores estavam normais, a internação foi pedida para investigação dos motivos das alterações.

No entanto, após quatro dias no hospital, seu estado de saúde piorou. A paciente apresentou confusão mental, dor de cabeça, diarreia, calafrio e febre de 39ºC. Exames apontaram também lesão renal aguda e infecção generalizada. Imediatamente, ela foi transferida para a unidade de tratamento intensivo onde o quadro se agravou, com coagulação intravascular, comprometimento da função hepática e insuficiência respiratória.

Finalmente, exames posteriores identificaram a bactéria C. canimorsus, presente na gengiva de cães e gatos, e iniciaram o tratamento com antibióticos.

A paciente voltou para casa após passar quase um mês no hospital. Os médicos consideraram essa infecção severa como uma reação “incomum” causada por essa bactéria.

Contudo, idosos, como o caso dessa paciente, apresentam maiores riscos de problemas decorrentes de infecção bacteriana, talvez por disfunções no sistema imunológico.

Lembramos que o comparativo da pesquisa não exprime algum tipo de ideologia ou apologia a tal tema de responsabilidade do site, estamos apenas reproduzindo um conhecimento científico.

Fonte:SAUDE & BEM ESTAR