sexta-feira, 10 de junho de 2016

Novo titular do Vasco não tem carro e pega dois trens em trajeto de 76 km

volante-william-pega-dois-trens-para-ir-aos-treinos-do-vasco-em-sao-januario-1465503538387_615x300Foto: Paulo Fernandes / Site oficial do Vasco

Os mesmos portões de São Januário que se abrem para o reluzente Volvo, modelo XC60, de Nenê, também dão passagem desde o mês passado para que William, novo titular do Vasco e companheiro de meio de campo do craque, chegue a pé após um trajeto de 76 quilômetros percorridos através de uma logística de conduções que levam mais de uma hora de duração.
Com sua primeira oportunidade em um clube grande na carreira, William Oliveira dos Santos, de 24 anos, é natural de Paracambi, município do Rio de Janeiro, e ainda não vive a mesma realidade da maioria de seus colegas de clube. Sem carro, ele precisa acordar às 5h e pegar dois trens para chegar a tempo dos treinamentos no estádio cruzmaltino às 9h.
“Eu pego um trem de Paracambi até Japeri. De lá eu pego outro para São Cristóvão (bairro vizinho a São Januário). Tem dia que dá uma hora, outros que dá uma hora e meia… Eu costumo acordar entre 5h e 5h30”, revelou.
Ciente das dificuldades de translado de seu volante, o Vasco disponibilizou o aluguel de um imóvel próximo a São Januário para que William tenha menos desgaste. A tendência é a de que a mudança seja concluída nesta semana.
“É um pouco difícil (o trajeto desde Paracambi) porque como somos atletas, temos que descansar bastante, dar o melhor dentro de campo. Então, por isso, a diretoria está fazendo o possível para me ajudar”, declarou.
Apesar de estar mudando de vida desde o mês passado, William garante ainda ser um anônimo nos vagões.
“Ninguém ainda me reconheceu, não”.
Engajado em projetos sociais, o técnico Jorginho vibra com a chance que está tendo de poder ajudar William a mudar de vida.
“Ele mora em Paracambi, vinha de trem. Lembrei para os jogadores que a maioria dos atletas veio de condições adversas. É bom poder contribuir. O grupo o abraçou e é legal vê-lo fazer parte de um grupo que está mudando a história dele. Alguns já têm carros maravilhosos e outros estão vindo de trem. Mas ele ainda tem muito caminho a percorrer”, destacou.
Ainda tímido perante aos microfones, o volante resumiu como tem sido recebido pelo elenco neste primeiro mês em São Januário.
“Eu estou me sentindo à vontade. É um grupo que está sempre unido, eles são muito amigos. A rapaziada é maneira, tranquila, é uma família”, destacou.
‘A TORCIDA GOSTA DESTE TIPO DE JOGADOR’
Entusiasmado com que William tem apresentado até aqui no Vasco, Jorginho destacou as características do jogador e ressaltou a identificação que o volante pode ter com a torcida.
“É um jogador que nós observamos no Carioca. Vimos o quanto tem potencial. Ele está sempre participando, indo para cima, sem medo. Mas é diferente jogar no Madureira e no Vasco da Gama. Porém, ele chegou acreditando no potencial dele. Não tem medo, vai para cima e é forte na marcação. A torcida gosta deste tipo de jogador”, enfatizou.
Apesar de ter sido titular nas últimas partidas, William ainda não acredita que conquistou de vez seu espaço entre os 11:
“Ainda não consegui meu espaço. Isso vai ser treinando no dia a dia. Quem vai ver se eu sou titular ou não é o treinador. Tenho muito o que evoluir e crescer cada dia mais”.

UOL