quinta-feira, 12 de maio de 2016

Marcela Temer: nova primeira-dama do Brasil

O Globo
Recém-saída da adolescência, quando aceitou a sugestão do tio Geraldo para ir cumprimentar o prefeito de Paulínia na convenção do PMDB, em 2002, a ex-miss Marcela Tedeschi Araújo esperava apenas a chance de um contato que pudesse “dar um up” na apagada carreira de modelo do interior. A estudante tinha 19 anos e lá conheceu o deputado “charmosão” 43 anos mais velho que lhe fechou as portas do mundo das passarelas e a transformou na discreta esposa e mãe que assume, nesta quinta-feira, o posto de primeira-dama do Brasil — desocupado desde a posse de Dilma, em 2011.
A única extravagância que a ex-modelo e miss esconde está em sua nuca: uma tatuagem com a inscrição “Michel”, nome do novo comandante do Palácio do Planalto, e do filho Michelzinho. O então deputado e hoje presidente foi seu primeiro e único namorado.
— Era um contato profissional que poderia dar um up na carreira de modelo. Mas eu achei ele charmosão — contou Marcela, em entrevista à revista TPM, logo após a primeira posse de Temer como vice, em 2011.

O próximo passo foi, por sugestão do pai, mandar um e-mail parabenizando Michel pela eleição, com o seu telefone.
— Logo no primeiro momento eu me encantei com ela, e ela teve alguma simpatia por mim — contou há alguns anos um orgulhoso Temer, ao lado da mulher, no programa “Amaury Júnior”.
A primeira-dama é não apenas reservada, mas também protegida pelo séquito de Temer. Raramente concede entrevistas — há uma extensa lista de espera de veículos de imprensa, inclusive estrangeiros, para um bate-papo. Nas poucas conversas com que concordou, Marcela rejeita rótulos. Como a comparação com a ex-primeira dama da França Carla Bruni, cantora e igualmente ex-modelo, casada com Nicolas Sarkozy. A única semelhança, costuma dizer, é o último sobrenome, Tedeschi.


Descendente de italianos, Marcela queria ser jornalista e apresentadora de TV. Chegou a trabalhar como recepcionista no jornal “O momento”, já extinto. Mas, acabou seguindo o marido advogado e constitucionalista: formou-se em Direito. Depois que se mudou para o Palácio do Jaburu, que passou por reformas para se adaptar à vida cotidiana de Michelzinho, Marcela continuou longe dos holofotes e, mais recentemente, das intensas reuniões e maratonas políticas que precederam o afastamento de Dilma e a ascensão de seu marido à Presidência.
Seu protagonismo, no entanto, é imenso na atividade artística de Michel Temer. A primeira-dama foi a musa inspiradora do agora presidente nos poemas mais pessoais do livro “Anônima intimidade”, lançado por ele há três anos. No poema “Embarque”, Michel se revela:
Embarquei na tua nau
Sem rumo. Eu e tu.
Tu, porque não sabias
Para onde querias ir.
Eu, porque já tomei muitos rumos
Sem chegar a lugar nenhum.