quarta-feira, 13 de abril de 2016

RN tem mais de 31 mil caos suspeitos de dengue

No Rio Grande do Norte foram notificados 31.397 casos suspeitos de dengue em 2016, até a semana epidemiológica número 13 (terminada em 02/04/2016), representando uma incidência de 1.098,37/100.000 hab, um aumento considerável se comparada à incidência do mesmo período de 2015 que foi de 477,49/100 mil hab.
Os dados divulgados pelo boletim do Núcleo Estadual de Vigilância das Arboviroses da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) apontam que, até o momento, foram confirmados 6,1% dos 1.918 casos notificados, sendo 1.884 para dengue, 29 como dengue com sinais de alarme e 5 como dengue grave.  Em 2015, no mesmo período, foram confirmados 3.070 para dengue, 3.042, dengue com sinais de alarme e 4 como dengue grave.
De acordo com o Programa Estadual de Controle da Dengue (PECD), em 2016, 88 municípios do RN (52,7%) apresentam uma alta incidência acumulada de dengue, justamente aqueles que notificaram mais de 300 casos da doença por 100.000 habitantes. Outros 41(24,6%) municípios com média incidência, e 28(16,8%) com baixa incidência, além de 10(6%) municípios que  estão silenciosos, ou seja, não notificaram nenhum caso suspeito de dengue nesse período.
Novamente o relatório aponta para uma subnotificação de casos suspeitos e indica a necessidade de sensibilizar os profissionais de saúde para a responsabilidade de notificarem todos os atendimentos que se enquadrarem na definição de caso suspeito para dengue definido pelo Ministério da Saúde. Ou seja: "Toda pessoa que viva ou tenha viajado nos últimos 14 dias para área onde esteja ocorrendo dengue ou que tenha a presença de Aedes Aegypti que apresente febre, usualmente entre 2 a 7 dias, e apresente duas ou mais das seguintes manifestações: náuseas, vômitos, exantemas, mialgias, artralgia, cefaleia, dor retroorbital, petéquias ou prova do laço positiva e leucopenia", recomenda o relatório.