segunda-feira, 25 de abril de 2016

Carta ao Governo Robinson Faria mostra dor de mãe vítima da violência no RN

CARTA AO EXCELENTÍSSIMO GOVERNADOR DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE SR. ROBINSON FARIA.
Deixe-me apresentar-me sou mãe de Karol a universitária brutalmente assassinada na Av. Itapetinga, Zona Norte de Natal, capital do RN, no último dia 20 de janeiro, não vou me estender na descrição do caso, pois tenho certeza que o Sr. certamente ouviu falar. Quero iniciar dizendo que não sou sua eleitora, pois nunca acreditei que alguém que dividia o palanque e posteriormente o governo com uma péssima gestora como a Sra. Rosalba, seria diferente dela, mas confesso, que o Sr. ainda conseguiu me surpreender pra pior, pois a última governadora ainda dava a cara pra bater e tentava justificar a sua incompetência administrativa, o Sr. nem isso faz, esconde-se atrás de secretários que de tanto ver ingerências, pedem pra sair, pra não ter o seu nome enxovalhado, junto com o desse governo, que é uma vergonha! Eu também teria.
Quando vejo as notícias de vossas lambanças e incompetências narradas pela mídia local tenho tristeza de ser Norte Riograndense, um estado belo e maravilhoso, hoje governado por bandidos, cuja governadoria funciona na penitenciária, nosso povo está refém de criminosos, nossos hospitais falidos e sem direção, lembram o Haiti, nossas escolas sucateadas viraram cenários de arrastões e lugares que lembram de tão abandonadas e deterioradas filmes de terror, que não atraem jovens e esses por sua vez estão sendo abatidos a sangue frio, a queima roupa.
Karol Sr. “Faria” antes de ter sua vida ceifada por esses calhordas, foi assaltada no ônibus e na esquina de casa por sua vezes, isto prova que não há lugar seguro, e volto atrás, há sim, vossa casa protegida por seguranças pagos por nós cidadãos comuns, no vosso carro blindado pago por nós cidadãos comuns, há segurança. O senhor não vai ao hospital público, como precisei ir essa semana, onde só havia um médico de plantão, pois o pagamento da cooperativa está atrasado e de onde voltei sem atendimento, não Sr. “Faria”, seu filho por sua vez nunca foi numa escola pública, talvez por isso tenha tornado-se político, na falta de outra profissão, e diga-se de passagem péssimo representante, saiu ao pai, pois sua representação política para o RN só se dar nas capas das revistas sensacionalistas, quando muda de companhia feminina famosa, ou quando por ventura acontece um impeachment, prato cheio para políticos oportunistas aparecerem, nesse caso estamos bem representados.
Enquanto isso Sr. “Faria”, nós cidadãos comuns sentimos medo, dor, insegurança, nossos filhos são assassinados, nossos jovens ficam sem aula, nossos trabalhadores e pais de família são assaltados, humilhados, desrespeitados,se morre a míngua nos corredores de hospitais fétidos, isso quando consegue-se entrar, nossas ruas pertencem a criminalidade, nossa penitenciárias são feitas de farinha e cola, tamanha sua fragilidade, nossa população está sendo dizimada por mosquitos e o Sr. onde se escondeu?
Chego a conclusão que seu nome é muito eloqüente o Sr. faria, pois não faz, não muda, não avança, não se pronuncia, não aparece, é um Governo fantasma e macabro, que só lembramos que temos, quando sua incompetência nos atinge de forma brutal. Como aconteceu com minha família que está mortalmente ferida.
Então Sr. Faria, vim através dessa carta cobrar a conta, quero como cidadã do estado do Rio Grande do Norte o cumprimento do vosso compromisso de campanha, quero o restabelecimento da SEGURANÇA PÚBLICA, chega de desculpas esfarrapadas e onerosas, pare de brincar com nossas vidas, cansamos de ser cobaias de seusc testes fracassados, assuma sua incapacidade e peça ajuda a pessoas que sabem como fazer e que vivem a realidade, chega de playboys e barbies que não nos representam. Chega!!! Quero que saiba que não darei trégua em minha cobrança, pois ela é honesta e constitucional. Não sou política, nem filha de oligarquia, mas sou uma mãe gerida e uma mulher de coragem e tenho ao meu lado uma legião de mães que estão. Comigo em minha luta.
Espero que seja compartilhada e tenha mais sorte que a imprensa local, que nunca lhe encontra.
Karla Álvares, mãe De Karol”.