segunda-feira, 21 de março de 2016

É preciso apoio de 70% da população para ter impeachment, diz ex-ministro

O ex-ministro da Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República, Wellington Moreira Franco (PMDB), declarou na manhã desta segunda-feira (21) que, para o impeachment da presidente Dilma Rousseff ocorrer, é preciso que haja apoio de pelo menos 70% da população.
Em palestra para conselheiros da Associação Comercial de São Paulo sobre o documento “Uma Ponte para o Futuro”, elaborado pelo PMDB e chamado de “Agenda Temer”, Moreira Franco afirmou que o Congresso e o Judiciário “operam a vontade da opinião pública” e que seu partido “tem o sentido de urgência balizado na opinião pública”.
“Há um evidente desejo de mudança. Quando a opinião pública quer, não há como impedir. Veja o caso das Diretas-Já: a emenda constitucional não passou, mas mesmo na eleição indireta a mudança se concretizou, e os candidatos que ganharia em eleição direta foram os vencedores”, comparou o ex-ministro.
Questionado sobre os números da recente pesquisa Datafolha, que mostra 68% da população favorável ao impeachment de Dilma, o político não comentou se tal percentual é suficiente.
Moreira Franco também não deu um prazo para que a crise política chegue ao fim. “Não quero tirar de Mãe Dináh. Não sei até quando vai”.
O ex-ministro, que preside a Fundação Ulysses Guimarães (ligada ao PMDB), afirmou ainda que nunca houve intolerância política tão grande no país, mesmo na época da ditadura, e ponderou que o esforço de unificação é “tão ou mais importante que o ajuste fiscal”.
Por fim, Moreira Franco destacou que “não há nenhuma tendência de deixar o tempo passar”, pois os fatos estão “acelerando um desfecho”. O PMDB decidirá no dia 29 se deixa o governo.

Folha Press