quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

Luana Piovani será primeira capa da nova “Playboy”

Luana Piovani estampará a capa da primeira edição da nova “Playboy”. A informação foi confirmada ao UOL na manhã desta quinta-feira (4), e a loira foi apresentada à imprensa em uma entrevista coletiva à tarde.

Segundo Luana, a mudança do conceito da revista a levou a finalmente aceitar um ensaio na publicação. “Topei porque mudou o conceito. Não sou obrigada a botar dedinho na boca e posar de quatro para fazer punheteiro gozar. Sensualidade tem que ser natural”, disse a jornalistas durante apresentação da revista.

Mãe de Dom, 3 anos, e dos gêmeos Bem e Liz, 5 meses, a atriz de 39 anos publicou algumas dicas em seu perfil do Instagram sobre a notícia. Ao posar com um colar com a palavra “sexy”, ela escreveu na legenda “#quarentamodeloMusa”, em referência à proximidade dos seus 40 anos. No início da tarde, ela posou com orelhas de coelhinha.

Na rede social, Piovani respondeu às provocações de alguns internautas. “Olha, se não tiver nudez total não vai valer a pena. Mude isso, porque se for só igual suas ‘Trip’ vai ser o maior mico da história”, comentou um perfil. “Eu só faço edição de colecionador, papai. Pode esperar. Beijo no ombro”, rebateu a atriz.

Segundo André Sanseverino, vice-presidente e publisher da publicação, a revista quer resgatar o glamour e não pagará cachês para as musas da capa.

“Estamos com uma nova proposta sobre o nu. Tanto a nossa capa de agora quanto as demais, quem vai dar os limites são elas. O que queremos oferecer é uma experiência única. Vão ser grandes produções, e por isso não faz mais sentido colocar preço na nudez de uma mulher”, disse o executivo. “O que pretendemos oferecer nenhuma revista oferece e que estar novamente numa capa da ‘Playboy’ seja sinônimo de status”, completou.

Nova fase

A revista “Playboy”, que deixou de ser publicada pela editora Abril no fim do ano passado, volta às bancas em abril, pela recém-lançada editora PBB Entertainment, com um novo conceito editorial. Em comunicado enviado à imprensa, a publicação reafirma o reposicionamento da marca e sua nova filosofia.

“Na nova Playboy, a mulher não será objeto de nudez, ela terá voz na revista e suas histórias de vida serão valorizadas A nudez irá sempre existir, o que muda é o tom e o olhar sobre essa estrela”, diz o texto.

Nesta nova etapa, as musas é que irão estabelecer o limite do nu. “As mulheres vão se despir como e o quanto quiserem, porque a nova Playboy defende que a nudez não deve ser comprada: a mulher é parceira e não terá mais obrigatoriedade de exibir nudez frontal. Assim, fica estabelecido que a estrela pode ter acesso a eventuais acordos e contrapartidas não editoriais, sempre articulados pela vice-presidência de Vendas, Marketing e Publicidade”, informou.

O desafio da nova “Playboy” é resgatar o prestígio e glamour da revista que, no entender de Sanseverino, se perderam com o tempo. “Queremos ter uma revista bacana para que as mulheres sintam novamente orgulho de ser capa da ‘Playboy’. E com isso, que as grandes estrelas e formadoras da opinião se dispam para a revista. A internet pode ter popularizado o nu, mas não é o nu que temos na ‘Playboy'”, declarou o empresário, que prometeu uma “reformulação geral” na publicação em entrevista concedida ao UOL em dezembro.

Fim de um ciclo

A editora Abril anunciou no dia 19 de novembro do ano passado a decisão de deixar de publicar três revistas em 2016. Entre elas, está a “Playboy”, que circula no Brasil há 40 anos. Além da revista masculina, a empresa cancelou as publicações “Men’s Health” e “Women’s Health”.

“Dando continuidade à estratégia de reposicionar-se focando e dirigindo seus esforços e investimentos às necessidades dos leitores e do mercado, a Editora Abril deixará de publicar, em 2016, as versões brasileiras das revistas ‘Men’s Health’, ‘Women’s Health’ e ‘Playboy’. Esse movimento é parte de uma profunda e arrojada mudança da empresa, processo iniciado há cerca de um ano com a revisão do portfólio de produtos e a radical readequação das ofertas Abril à sua audiência, aos seus anunciantes e agências”, informou a editora.