sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

15 CURIOSIDADES INTERESSANTES (E UMA PREOCUPANTE) SOBRE A BANANA

Os cachos das bananas surgem nos pseudocaules, que surgem do caule verdadeiro. Chamado de rizoma, esse caule fica embaixo da terra.
Quando um cacho é colhido (eles possuem de 5 a 20 pencas), o pseudocaule morre e dá origem a outro pseudocaule.
Os pontinhos pretos que encontramos nas bananas não são sementes, mas óvulos não fecundados. Algumas variedades podem conter sementes. É o caso da Musa balbisiana, uma banana encontrada no sul da Ásia.
Bananas reproduzem-se através da “propagação vegetativa”, caso em que os brotos da nova bananeira surgem a partir de uma planta-mãe. O problema é que, se planta-mãe tiver alguma doença genética, as novas plantas também terão por serem idênticas a ela.
As bananas amadurecem rápido por causa de um hormônio vegetal chamado etileno. O mais curioso é que a banana-prata amadurece com maior rapidez do que as demais variedades.
Ao contrário do que muitos pensam, a banana não é uma fruta típica do Brasil. Ela surgiu no Sudeste Asiático e de lá se espalhou para o resto do mundo. É atualmente cultivada em mais de 130 países, principalmente em regiões de clima tropical.
Bananas são ricas em vitamina A, vitamina C, fibras e potássio. Por causa do potássio, elas são levemente radioativas. Consta que grande carregamentos da fruta em navios costumam disparar contadores de radioatividade.
O amido presente na banana possui alto valor energético e o potássio evita cãibras. É por esse motivo que a banana é largamente consumida por atletas.
Existem mais de mil tipos de banana espalhadas pelo mundo, todas chamadas Musa. Um dos mais curiosos é a Musa ingens, encontrada no sudeste asiático, com 50 centímetros de comprimento e 1 quilo de peso.
Entre as variedades mais consumidas em todo o mundo, a mais comum é a banana-da-terra. Por conter amidos não digeríveis, ela só pode ser consumida depois de cozida.
A variedade mais consumida no Brasil é a banana-nanica. Ela divide a maior parte das plantações com a banana-prata.
O Brasil é um dos três maiores produtores mundiais da fruta (os outros dois são Índia e Equador). As maiores plantações se encontram nos estados da Bahia e São Paulo.
Maiores consumidores mundiais, os brasileiros comem em torno de 27 quilos de banana por ano – 16 a mais do que a média mundial.
A maior empresa produtora de bananas de todo o mundo é a norte-americana Chiquita Brands Internacional, com sede na cidade de Charlotte, no estado da Carolina do Norte. Ela possui diversas fazendas em países da América Central, de onde exporta os seus produtos para os Estados Unidos. Recentemente, ela foi comprada por duas empresas brasileiras: Cutrale e Grupo Safra.
Chamada em muitos lugares do mundo de banana Cavendish, a banana-nanica é cultivada em dezenas de países. O detalhe é que todas as plantações surgiram de uma única planta-mãe, cultivada pela primeira vez na Inglaterra do século XVIII.
O fungo da Doença do Panamá, uma praga que atinge os bananais, está afetando as plantações em diversos lugares do mundo. Ele já provocou estragos na Ásia, África, América Central e norte da América do Sul. Mais de 10 mil hectares de plantações já foram destruídos. Caso esse fungo continue a avançar, as variedades mais consumidas do mundo – principalmente a banana Cavendish, em virtude da sua particularidade genética – podem se extinguir. E as poucas restantes virarão produtos extremamente caros.
Fontes: Wikipédia, Brasil Escola, Mundo Educação, Mundo Estranho, BBC Brasil.