sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

‘Se bandido tentar reagir, policial tem que atirar para matar’, diz delegado aposentado Maurílio Pinto

Durante entrevista a rádio 95 FM, o delegado aposentado Maurílio Pinto de Medeiros, com uma legião de fãs em todo o Rio Grande do Norte, falou sobre a onda de violência que vem deixando aflita, em especial, a capital potiguar.

Maurílio, aos 74 anos, mas ainda com toda firmeza e realidade sobre o trabalho da Polícia, não poupou palavras e disse que quando estava no comando de alguma diligência e que, se algum criminoso tentasse sacar a arma, o policial deveria atirar, e para matar.

“Eu dizia sempre nas diligências, nas minhas operações, que se o bandido fizer menção de sacar a arma é para atirar, e atirar para matar. Qualquer reação por parte do bandido é para atirar para matar. Primeiro porque se o bandido não morrer, se não atirarmos para matar, o bandido ficando vivo vai revidar e ele sim vai atirar para matar o policial”, disse.

O delegado, mesmo aposentado, confessou que é constantemente consultado pelos atuais gestores da segurança pública sobre diversos fatos que ocorrem na cidade, assim, passando um pouco de sua experiência com esperança de contribuição nas investigações. Ao ser questionado sobre o árduo trabalho para tentar reduzir a criminalidade no Estado, Maurílio, foi objetivo e realista: “Não existe fórmula mágica. É preciso aumentar o efetivo, colocar a PM nas ruas e manter a polícia sem brigar”, finalizou.