quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

Relatório aponta as maiores causas de morte infantojuvenil no mundo

As infecções respiratórias são as principais responsáveis pela morte de crianças e adolescentes no mundo, segundo um estudo inédito divulgado ontem na revista Jama Pediatrics, da Associação Médica Americana. Pela primeira vez, pesquisadores fizeram um recorte infantojuvenil do relatório Carga global de doenças, publicação que sintetiza os óbitos mundiais ano a ano.

O levantamento indicou que, em 2013 (de quando são os dados mais recentes), 7,7 milhões de meninos e meninas de até 19 anos morreram. A maior concentração de óbitos está na primeira infância: 6,28 milhões de mortes ocorreram na faixa etária de 0 a 5 anos. O ranking é liderado pelo Japão, com o menor número de mortes infantojuvenis, proporcionalmente. O Brasil aparece em 19º, atrás de países como Irã, México e Venezuela.

Os autores do estudo, da Universidade de Washington, destacaram a necessidade de se investigar as causas de morte de crianças em uma faixa mais ampla da que costuma aparecer em levantamentos epidemiológicos. “A literatura atual foca nas taxas de mortalidade e nas tendências ano a ano entre crianças com menos de 5 anos, havendo pouca informação de comparação sobre doenças entre crianças mais velhas e adolescentes. Crianças e adolescentes constituem cerca de um terço da população mundial e seu status de saúde é importante para cada país e sociedade”, escreveram no artigo. De acordo com eles, os dados apresentados agora devem fornecer ferramentas para políticas públicas em países onde a mortalidade