quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

Jornalista inicia campanha para que turistas não visitem o RN por conta da violência

A jornalista Andréa Mousinho, que teve a irmã covardemente assassinada no início do mês durante um assalto em frente a uma padaria, decidiu tomar uma medida, no mínimo, questionável para cobrar mais segurança no Rio Grande do Norte. Ela iniciou uma campanha nas redes sociais para evitar que turistas visitem o Rio Grande do Norte devido à violência.

Em uma publicação no Facebook com o título “Turistas não visitem a cidade de Natal” em vermelho e preto, Andréa prometeu divulgar os dados e estatísticas sobre a violência e criminalidade do Rio Grande do Norte em agências de turismo de todos os cantos do mundo e em veículos de comunicação. De acordo com ela, “Natal está dominada pela organização do crime”.

Ninguém pode contestar que a violência que passamos nos últimos dias, que os boatos de crimes a pessoas próximas estão cada vez mais frequentes e que muitas pessoas realmente tem sentido cada vez mais medo de sair de casa. Mas esse não é um problema exclusivo do Rio Grande do Norte. O Brasil inteiro enfrenta crises com a segurança pública.

E, independente da situação, o turismo e a economia potiguar merecem realmente ser prejudicados? Milhares e milhares de famílias potiguares, que dependem da cadeia turísticas para sobreviver, merecem ser prejudicadas? A imagem que Natal tem em todo mundo, merece ser prejudicada?

Essa é realmente uma boa medida para cobrar mais segurança das autoridades competentes?

Outras medidas com menos impacto negativo para toda a população não seriam mais eficazes?

Você não ver Cariocas, Baianos, Pernambucanos e Cearenses fazendo esse tipo de movimento prejudicando sua própria população, e olhe que nesses estados o desmantelo é grande.

A dor de Andréa deve ser terrível, dos familiares e amigos idem, mas acredito que essa atitude merece uma reflexão e uma forma diferente de protesto deva ser pensada.