terça-feira, 26 de janeiro de 2016

Especialista vê possibilidade de chuvas no Nordeste se prolongarem até meados de fevereiro

A previsão da quadra chuvosa para a região do semiárido nordestino é de 65% de chances para precipitações abaixo da média. No entanto, o meteorologista natalense Raul Fritz, supervisor da unidade de Tempo e Clima da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), afirma que há a possibilidade das chuvas de janeiro se prolongarem para até meados de fevereiro e, assim como ocorreu em 2004, abastecer os reservatórios do Nordeste.

Em entrevista ao jornal O Povo, do Ceará, Fritz explicou que a quadra chuvosa é caracterizada pela atuação da Zona de Convergência Intertropical (ZCI), o sistema que traz chuvas de forma mais regular para a região Nordeste. As chuvas atuais, contudo, têm relação com o Vórtice Ciclônico de Altos Níveis (VCAN), que, segundo Fritz, é muito irregular. “Tem anos em que ele traz boas chuvas, tem anos em que praticamente não traz”, explicou.

Apesar do prognóstico desanimador para a quadra chuvosa, o VCAN pode trazer chuvas intensas durante todo mês de janeiro, como já ocorreu em 2004 (também período de seca), e até meados de fevereiro, contribuindo para o abastecimento de reservatórios no semiário. A tendência, no entanto, é que 2016 seja um ano com a quadra chuvosa com pouca intensidade, apesar de não ser possível prever com precisão a atuações de VCAN.

“Esses vórtices são de difícil previsibilidade. A ciência não conseguiu chegar num nível de precisão grande para ter uma previsão confiável para esse período (de pré-estação chuvosa). De qualquer forma, nos é exigido dar alguma ideia do que possa acontecer. As pessoas não compreendem, acham que essas chuvas do momento vão se prolongar até o restante da temporada”, disse Fritz em entrevista ao O Povo.