sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

Imagem do dia

Construção do Mercado Público de Japi-RN

Direção certa para uma formação consciente é na CONDUTRAN

Seleção de Japi não irá participar da Copa Trairí

Imagem relacionada

Em grande evento realizado na noite de ontem (17.01) na cidade de Santa Cruz foi lançada a Copa Trairí de Futebol 2018, que contará com equipes tradicionais da nossa região, uma competição para reviver os bons tempos de grandes jogos, a competição terá duas sedes Campo Redondo no Estádio Beira Rio e Santa Cruz no Estádio Iberê Ferreira de Souza “Iberezão”. 

A Copa Trairi de Futebol tem seu início marcado para o dia 27/01 e contará com a participação de 13 equipes das cidades de Campo Redondo (06), Coronel Ezequiel (01), Jaçanã (02), Lajes Pintadas (01), Santa Cruz (01), São Bento do Trairí (01) e Tangará (01) divididas em 3 grupos.

Grupo A
Palmeiras (Jaçanã)
LDM (Campo Redondo) 
Keka Embalagens (São Bento do Trairí)
Santos (Campo Redondo)

Grupo B
Garra (Campo Redondo)
Serrano (Campo Redondo)
Palmeiras Caldeirão (Campo Redondo)
Russinha (Tangará)
Eva Bary (Santa Cruz)

Grupo C
Cruzeiro (Coronel Ezequiel)
Alecrim (Lajes Pintadas)
Atlético (Jaçanã)
Grêmio (Campo Redondo)

Fonte: http://trairiagora.blogspot.com.br/

Atenção! Calendário PIS-Pasep 2017-2018: começa pagamento para nascidos em janeiro e fevereiro

Começa a ser depositado nesta quinta-feira (18) o abono salarial PIS do calendário 2017-2018, ano-base 2016, para os trabalhadores da iniciativa privada nascidos em janeiro e fevereiro. No caso do Pasep, que é pago para servidores públicos por meio da Banco do Brasil, o pagamento começa para quem tem final da inscrição 5. O PIS é pago na Caixa Econômica.

De acordo com o calendário, os nascidos entre janeiro e junho receberão o PIS no 1º trimestre de 2018. Já quem nasceu nos meses de julho a dezembro receberam o benefício ainda no ano de 2017. Em qualquer situação, o recurso ficará à disposição do trabalhador até 29 de junho de 2018, prazo final para o recebimento.

Para o exercício 2017/2018 serão destinados R$ 16,9 bilhões para pagamento do abono salarial a 24,3 milhões de trabalhadores. Só dentro do PIS são R$ 15,7 bilhões para 22,1 milhões de beneficiários, segundo a Caixa Econômica Federal.

Neste 7º lote, só no PIS, 3,5 milhões de pessoas têm direito a R$ 2,5 bilhões, segundo a Caixa Econômica Federal.

Quem tem direito

Tem direito ao abono salarial quem recebeu, em média, até dois salários mínimos mensais com carteira assinada e exerceu atividade remunerada durante, pelo menos, 30 dias em 2016. É preciso ainda estar inscrito no PIS/Pasep há pelo menos cinco anos e ter os dados atualizados pelo empregador na Relação Anual de Informações Sociais (Rais), ano-base 2016.

Valores do abono salarial

O valor do abono varia de R$ 80 a R$ 954, dependendo do tempo em que a pessoa trabalhou formalmente em 2016. Trabalhadores da iniciativa privada retiram o dinheiro na Caixa Econômica Federal, e os servidores públicos, no Banco do Brasil. É preciso apresentar um documento de identificação e o número do PIS/Pasep.

O valor do abono é associado ao número de meses trabalhados no exercício anterior. Portanto, quem trabalhou um mês no ano-base 2016 receberá 1/12 do salário mínimo. Quem trabalhou 2 meses receberá 2/12 e assim por diante. Só receberá o valor total quem trabalhou o ano-base 2016 completo.

Por exemplo, se o período trabalhado foi de 12 meses, vai receber o valor integral do benefício, que é de um salário mínimo (R$ 954). Se trabalhou por apenas um mês, vai receber o equivalente a 1/12 do salário (R$ 80), e assim sucessivamente.

Calendários

No caso do PIS, para quem é correntista da Caixa, o pagamento é feito 2 dias antes do restante dos outros trabalhadores. Veja calendário do PIS abaixo:

Tabela PIS 2017-2018 (Foto: Reprodução)

Já no caso do Pasep, o crédito em conta para correntistas do Banco do Brasil será efetuado a partir do 3º dia útil anterior ao início de cada período de pagamento, conforme cronograma abaixo:

Tabela Pasep 2017-2018 (Foto: Reprodução)

Como sacar

Para sacar o abono do PIS, o trabalhador que possuir Cartão do Cidadão e senha cadastrada pode se dirigir aos terminais de autoatendimento da Caixa ou a uma casa lotérica. Se não tiver o Cartão do Cidadão, pode receber o valor em qualquer agência da Caixa, mediante apresentação de documento de identificação.

Informações sobre o PIS também podem ser obtidas pelo telefone 0800-726-02-07 da Caixa. O trabalhador pode fazer uma consulta ainda no site www.caixa.gov.br/PIS, em Consultar Pagamento. Para isso, é preciso ter o número do NIS (PIS/Pasep) em mãos.


Os servidores públicos que têm direito ao Pasep precisam verificar se houve depósito em conta. Caso isso não tenha ocorrido, precisam procurar uma agência do Banco do Brasil e apresentar um documento de identificação. Mais informações sobre o Pasep podem ser obtidas pelo telefone 0800-729 00 01, do Banco do Brasil.

E se não sacar o dinheiro?

De acordo com a Caixa, quando o saque do PIS não é efetuado, o valor é incorporado ao saldo de quotas. Ao final do exercício financeiro (29 de junho de 2018), após a atualização do saldo, os rendimentos são disponibilizados para saque no novo calendário. Os rendimentos variam conforme o saldo existente na conta do PIS vinculada ao trabalhador.

Segundo o governo, os recursos do abono salarial ano-base 2016 que ainda não foram sacados chegam a mais de R$ 9,84 bilhões, e envolvem 13,4 milhões de trabalhadores em todo o país.

Fundos PIS/Pasep para idosos

A partir do dia 22 de janeiro, começa o pagamento do Fundo PIS/Pasep para beneficiários com idade a partir de 60 anos.


Tem direito aos recursos do fundo de cotistas o trabalhador do setor público ou privado que tenha contribuído para o PIS ou Pasep até 4 de outubro de 1988 e que não tenha feito o resgate total do saldo.

No total, 12,5 milhões de trabalhadores podem ser beneficiados pela medida, injetando cerca de R$ 23,6 bilhões na economia.

Por Marta Cavallini, G1

Nota do Enem 2017 é divulgada; confira


Os notas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2017 foram divulgadas nesta quinta-feira (18). 

O resultado deve ser consultado individualmente: para isso, os candidatos devem acessar a Página do Participante (https://enem.inep.gov.br/participante/) e incluir CPF e a senha cadastrada.

UERN demite 86 servidores efetivados sem concurso público


Fundação Universidade Estadual do Rio Grande do Norte demitiu 86 servidores nesta quinta-feira (18), em publicação no Diário Oficial do Estado. A medida segue decisão tomada pelo Supremo Tribunal Federal, que considerou ilegal uma lei estadual que efetivou os servidores que ingressaram na entidade entre 1987 e 1993 como temporários.


Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) 1241 foi impetrada pela Procuradoria Geral da República (PGR) e teve decisão da Corte ainda em 2016. Os ministros entenderam que não havia justificativa para os servidores permanecerem no quadro sem que tenham feito concurso público.

Os efeitos da declaração só passaram a valer após 12 meses da data de publicação da ata de julgamento, porque o relator da matéria, ministro Dias Toffoli, considerou que este período seria suficiente para a realização de concurso público e posse de novos servidores, evitando prejuízo à prestação dos serviços da instituição estadual. Ele foi seguido pelos demais membros do STF.

A demissão passou a valer imediatamente após a publicação no Diário Oficial.

Portaria:

Nº 0107/2018–GP/FUERN

Determina o cumprimento de decisão do Supremo Tribunal Federal, dada na ADI 1241.

O Presidente da Fundação Universidade do Estado do Rio Grande do Norte, no uso das suas atribuições legais e estatutárias.

CONSIDERANDO decisão do Supremo Tribunal Federal em Ação Direta de Inconstitucionalidade, proferida na ADI 1241, que julgou inconstitucional os artigos 1º e 2º da Lei nº 6.697/1994;

CONSIDERANDO o trânsito em julgado da ADI 1241, certificado em 16/01/2018 pelo STF, consolidando a coisa julgada desde 11/08/2017 – “Certifico que o(a) acórdão/decisão transitou em julgado em 11.8.2017, dia subsequente ao término do prazo recursal”;

CONSIDERANDO os efeitos vinculantes da ADI 1241 para a Administração Pública, bem como a necessidade de dar cumprimento imediato à determinação do Supremo Tribunal Federal;

RESOLVE:

Art. 1º. Rescindir imediatamente os vínculos funcionais dos servidores efetivados pela Lei nº 6.697/1994.

Art. 2°. A lista dos servidores alcançados pela ADI 1241 segue no Anexo Único, que passa a fazer parte desta Portaria.

Art. 3°. Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação.

PUBLIQUE-SE


Em 17 de janeiro de 2018.
Prof. Dr. Pedro Fernandes Ribeiro Neto
Presidente

Do G1/RN

Com bençãos e noites temáticas, começa hoje a Festa de São Sebastião em Japi

Depois de Sítio Novo e São Bento do Trairi, mais uma comunidade da região celebra o seu padroeiro São Sebastião. A partir de hoje (18), o santo será festejado pelos fiéis de Japi durante dez dias, onde serão feitas novenas e missas a partir das 19h, seguidas por eventos culturais e profanos.

A programação de abertura começa às 18h com a 17ª Carreata de São Sebastião, que sairá do Sítio Pedra Preta conduzindo a imagem do santo pelas ruas da cidade. Em seguida, às 19h, haverá missa e hasteamento de bandeiras.

O tema escolhido para a festa este ano é: ''A exemplo de São Sebastião, somos chamados a servir com fé e testemunho na igreja e na sociedade''.

História

A história nos conta que São Sebastião nasceu na Itália, chegou a ser considerado um dos oficiais prediletos do imperador, mas nunca deixou de ser um cristão e fazia de tudo para ajudar os irmãos na fé, convertendo muitos ao cristianismo. Em certa ocasião, Sebastião foi denunciado, que não negou a sua fé e foi condenado à morte, sem direito à apelação.

Sebastião não morreu e foi até imperador, novamente, censurando-o pelas injustiças cometidas contra os cristãos e o acusou de inimigo. Mas ele não teve uma segunda chance e foi açoitado até a morte em 20 de janeiro de 288.



Joabson Silva

Capela de Pedra Preta

A capela do Sítio Pedra Preta teve seu início no ano de 2005, a partir da ideia da senhora Josefa Pontes de Souza, esposa do senhor José Olinto. Ela falou no assunto para o padre Aerton de Sales, no momento em que o pároco fazia uma reunião na casa dela. Na ocasião, Josefa Pontes comentou: “Era bom fazer uma capela aqui em Pedra Preta, padre!” Então, o padre falou: “É verdade, irmã”. Então, a partir daquele momento ela entusiasmou-se e, com muita coragem, abraçou essa causa com muita fé e perseverança. Espalhou essa ideia para outras pessoas, fez algumas campanhas e conseguiu o seu objetivo. O padre também contribuiu incentivando os fiéis a participarem das campanhas com objetivo de arrecadar recursos para conclusão da capela.     
            Graças a Deus e também a muitas pessoas de bom coração, no ano de 2005 deram início à construção da capela. E, no ano de 2010, ela foi inaugurada.
            Embora a capela tenha sido inaugurada em 2010, quando o templo ainda estava sem o seu teto, houve uma missa dentro dela, novenários e outras comemorações. Enquanto isso, a campanha com a finalidade de conseguir ajuda para concluir a obra da capela continuava, até que em 2012, ela foi definitivamente concluída. O vigário que rezou a missa no dia da inauguração foi o padre Lenilson, da paróquia de Santa Rita de Cássia.
           A padroeira dessa capela é Nossa Senhora da Conceição. Vale lembrar que a primeira festa da padroeira, em Pedra Preta, aconteceu no ano de 2006, um ano após o início da construção.
           A religiosidade das pessoas daquela localidade já se revelava desde a primeira metade do século XX, por volta de 1935. Quem dirigia os eventos era a senhora Maria Teixeira, na localidade de Três Irmãos. Por volta de 1955 a 1965, já em Pedra Preta, a senhora Maria de Olegário[1] rezava as novenas na sua residência.
           Anos depois, por volta de 1979 a 1989, Josefa Pontes de Souza rezava em sua residência o mês mariano (novenas do mês de maio).
          O primeiro batismo que aconteceu nesta capela foi realizado em 2014, pelo padre Nilson, quando foi batizado o neto de Ornilo.  

quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

O proprietário Claudino Marques de Souza

No dia 5 de janeiro de 2006, fui à localidade de Pedra Preta, a dois quilômetros da cidade de Japi. Nesse mesmo dia visitei a casa do senhor Manoel Claudino de Souza, e na ocasião conversei muito com ele e sua esposa, os quais me relataram tudo que sabiam sobre a origem dos primeiros habitantes e sobre o desenvolvimento da região até os dias atuais.
Segundo eles, no final do século XIX, todas as terras das localidades de Barra, Picada da Barra, Catunim[1], Pedras Pretas e a parte ocidental do Boqueirão de Baixo pertenciam ao proprietário Claudino Marques de Souza.        
Antes de possuir todas essas terras, ele tangia tropas de jumentos nas estradas. Ele era um “matuto”, que passava muito pelos caminhos de Japi, levando mercadorias para o Sertão e para o Brejo paraibano.



Claudino nasceu no sertão e se casou com a paraibana Santana Maria de Souza, com quem viveu até falecer. Ambos tiveram 11 filhos, a saber:
Francisca Claudino Rosa Lina (Chiquinha). Do seu casamento surgiram os Nicolaus.
Francisco Claudino de Souza (Chico).
Joana Claudino de Souza. Do seu casamento surgiram os Pebas de Carnaúbas.
Josefa Rosa Lina da Conceição. Do seu casamento surgiram os Carias.
José Claudino de Souza. Do seu casamento surgiram os Claudinos e as Marucas.
Manoel Claudino de Souza, pai do ex-vereador José Claudino de Souza.
Maria Claudino de Souza, mãe de João Branco.
Noca Claudino de Souza, mãe de Ester Chagas, ex-sogra de Hermílio Dantas.
Olinto Marques de Souza.
Paulino Marcos de Souza.
Rita Claudino. Do seu casamento surgiram os Chicós.
Quando Claudino Marques de Souza comprou essas propriedades, foi morar na localidade da Barra, na casa que ele mesmo construíra, na qual morou Severino Eugênio.
Nessa época, em toda sua propriedade só havia dois locais onde as pessoas e os animais podiam encontrar água, principalmente nos períodos de estiagem: no riacho que hoje pertence ao senhor Cristino Moreira (Riacho de Cristino) e no Boqueirão de Baixo, próximo à localidade de Pedras Pretas.                                             
                                                                                                 Ex-vereador Zé Claudino
Resultado de imagem para ZE CLAUDINO JAPI RN
Em 1910, Claudino Marques de Souza saiu da Barra e foi morar na localidade de Pedra Preta, próxima às águas do Boqueirão, debaixo de um pé de umbu e de um pé de “Bonome”, onde viveu juntamente com sua família por um período de seis meses. Depois disso, ele construiu uma casa onde foi morar com sua família. Esta casa é conhecida hoje como a “Casa Grande de Sinval”. Ela foi a segunda casa que construíram na localidade de Pedra Preta, a qual ainda permanece lá até os dias atuais. A primeira residência construída naquela localidade foi uma casinha de taipa e quem morou nela foi Zé Branco, que era casado com uma irmã do pai de Manoel Claudino de Souza. Essa casa velha já não existe mais. No lugar dela, foi construída outra. Quem morava nela em 2006 era Antônio de Odorico.
Vereador Zome
Resultado de imagem para ZOME JAPI RNEm 1928, Claudino Marques de Souza faleceu. Mas, quando ele se encontrava às vésperas da morte, os familiares dele trouxeram o padre Manoel Barbosa Galvão, vigário da Matriz de Santa Cruz, para fazer a sua confissão. Também nesse dia o padre batizou vários meninos. Entre tantos, convém lembrar os nomes de Chicão, Nozinho, Chico Geraldo, Esmerilo Claudino de Souza[1].
Segundo Manoel Claudino de Souza, em 1910, o rio Jacu era um pequeno riacho. Foi na grande enchente de 1917, quando ele abriu bastante o leito e ficou largo como está hoje. Ele disse também que, em 1930, os principais donos de terra da região japiense eram: os Medeiros, os Claudinos, os Lopes, os Nicolaus, os Pontes e os Anselmos.
Atualmente, as famílias Claudino, Nicolau, Albino, Branco, Gomes, Barbosa, Carias e outras fazem parte da “família Claudino”, da qual a maior parte se encontra na cidade de Japi e no Sítio Pedra Preta, núcleo de origem de quase todas elas.

A localidade de Pedra Preta

O surgimento do povoado de Pedra Preta se deu em consequência da movimentação pastoril na região. O desenvolvimento dessa localidade, desde o início, vem ocorrendo muitolentamente até os dias atuais. Mas, mesmo assim, em 1966 já possuía uma Escola Isolada, com prédio próprio, construída na gestão do então prefeito Geraldo Anselmo Pinheiro.
A primeira professora de Pedra Preta foi Rita Maria de Pontes, esposa de Manoel Claudino de Souza. Antes, ela ensinava particular, em sua própria casa. Isso por volta de 1960. Dois anos depois, ela pediu um emprego ao então prefeito de Japi, Pedro Tolentino de Medeiros. E, a partir de 1962, ela começou a ensinar contratada pelo Estado do Rio Grande do Norte.
Muito antes de Rita Maria de Pontes, o professor Manoel Chico passou ensinando na localidade de Pedra Preta, principalmente aos membros da família Claudino.



       No ano de 2006, nesse povoado, existiam 78 casas, 290 habitantes, dois grupos escolares, nos quais as crianças da localidade recebem aulas referentes às primeiras quatro séries do ensino fundamental. Existe também uma igreja católica, inaugurada em 2010; um templo evangélico pertencente à Igreja Adventista do Sétimo Dia; três parques de vaquejada; uma associação; uma mercearia e uma pedreira[1] onde algumas famílias quebram pedras com fins comerciais (britas, meios-fios, paralelepípedos, pedras para revestimentos de paredes e alicerces de casas). A comunidade também vive da agricultura de subsistência e da pecuária. Todavia, a principal fonte de economia são os salários dos aposentados.

terça-feira, 16 de janeiro de 2018

domingo, 14 de janeiro de 2018

O LANÇAMENTO DO LIVRO QUE RELATA A HISTÓRIA DE JAPI ACONTECEU COM MUITO SUCESSO:

A festa do lançamento do livro que conta a história de Japi, que aconteceu no dia 12/01/2018 na E. E. Coronel Manoel José de Medeiros foi uma das maiores solenidade que já se viu na cidade de Japi: com ordem e respeito, grande emoção, educação, e gratidão. Pois, além de comover a mesa que foi composta por várias autoridades municipais e estaduais, comoveu todo o povo que ali estavam presente. A saber, calcula-se mais de 400 pessoas no recinto. Para tanto, alugamos trezentas cadeiras as quais ficaram todas ocupadas. Também, o espaço que há na chegada, antes da quadra de esporte da referida escola ficou todo lotado.

De fato, como foi dito por todos os oradores: A festa e o livro vão ficar eternizados na memória de todos aqueles que estavam presente no evento.

Veja a avaliação do escritor, Edson Batista:
 A alegria e o contentamento das pessoas que ali estavam foi de fato muito grandes, a ponto de quem lá estava durante a cerimônia ficar todos perplexos, mesmo estando em pé, admirados com tamanha e linda demonstração.
Durante toda a apresentação podemos comtemplar, os rostos de todas as pessoas, fixos e pasmados. Para tanto, houve choros, risos e admiração para tudo que ali estava em ação: os telões com seus lindos e incríveis vídeos e fotografias antigas, o trio Arapuá, as falas das pessoas, a recepção e o agradecimento por parte dos organizadores e outros mais.
Acredito que todos que ali estavam ficaram muito felizes. Todavia, foram muitas as pessoas que vieram me abraçar e me parabenizar pelo feito ocorrido. E mais, todos diziam: “nunca vi coisa tão linda assim, estou muito feliz com isso Edson Batista”! E eu respondia: agradeça primeiro a DEUS, o criador dos céus, da terra, do mar e tudo que neles há. Só ele é digno de agradecimentos, pois, foi ele que nos proporcionou esse momento e tudo isso. Sem a permissão dele as coisas tinham dado errado. Para tanto, o inimigo de Deus é contra as coisas que deixam as almas felizes. Porém, o Deus que eu sirvo está me abençoando e a todos que não pensam e não planejam em seus corações, o mau contra o seu semelhante. Não se ira e não encha seu coração de maldade. Se não agradei a todos, peço-lhes desculpas, pois embora JESUS CRISTO tenha ensinado e dito a verdade a todos os seus contemporâneos e conterrâneos não foi compreendido e nem aceito pela maioria de todos de sua cidade. Amo todos os filhos desta terra, JAPI, TERRA QUERIDA!!!


Além de agradecer ao Deus da sabedoria e da criação, agradeço também as autoridades presentes: ao deputado estadual, Tomba de Farias, o então prefeito, Jodoval Ferreira de Pontes, o então vice-prefeito Ivanilson Medeiros, secretários municipais, vereadores e ex-vereadores que estavam presentes, o então presidente da Câmara, George Justino e demais autoridades e pessoas importante de Japi e de outros municípios: os editores, Cleudivan e Sueli, o representante da UFRN, doutor, José Da Luz (prefaciador e correção), Gilberto Cardoso e Hélio Crisanto (poetas e escritores), Edson Júnior, doutor em enfermagem e professor universitário do Ceará, que participou do livro, a doutora e odontóloga, Niely, a minha família, a todo o povo que atendeu ao convite e veio prestigiar o evento e a equipe que ajudou na organização:


  
Roberto César, diretor da escola, Tiago Rufino, Nildo Cipriano, Tiago Amaral, Francineide, Tiago de Moça, trio arapuá e ao clube de desbravadores na pessoa do diretor Isaque.
Quero agradecer ao desembargador, Vivaldo Pinheiro que ligou para mim justificando o porquê de não está presente ao evento, elogiou muito o livro e encomendou vários livros .

Há muitas pessoas que moram em outros estados, interessadas a comprar o livro. Para isso, basta você ligar para (084) 98864-0788-- E-mail edsonbatista039@.com                        falar com Edson Batista ou com os blogs: (Japi em foco e Joabson Silva).
O livro custa 50 (cinquenta reais).























quinta-feira, 11 de janeiro de 2018

quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

Japi tem o FPM zerado na primeira cota de janeiro


O ano de 2018 começou com dificuldades para o município de Japi. Na primeira cota de janeiro do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), a cidade teve o repasse zerado, e não recebeu verbas do Governo Federal. A escassez de recursos foi constante durante o ano de 2017, inviabilizando a prefeitura de realizar com regularidade o pagamento dos servidores e fornecedores, e até mesmo de manter a prestação de serviços essenciais.

A cidade tem como principal fonte de recursos o FPM. A falta de verba tem atrapalhado o planejamento do prefeito Jodoval Pontes (PMDB), que enfrenta dificuldades em honrar os compromissos e realizar obras.

Dezenas de outros municípios do Rio Grande do Norte também não receberam o repasse nesta quarta-feira (10).


Joabson Silva

Convite para o lançado do primeiro livro que conta a História de Japi: À população em geral

Acredito que você não irá perder a oportunidade de comprar o livro JAPI, TERRA QUERIDA em fatos e fotos, no dia da festa do lançamento que se realizará no dia 12/01/2018, sexta- feira próxima. Vale salientar também, que nessa primeira edição Foram confeccionados poucos exemplares devido o preço que ficou um pouco elevado, tendo em vista a boa qualidade do material usado no livro e do trabalho envolvido na produção da obra. Outro. A editora já é reconhecida no nosso país e tem um nome a zelar. É importante que você entenda que hoje, qualquer livro com 100 páginas que é vendido no comércio custa em torno de 40 a 50 reais. Este livro de Japi tem quase 400 (quatrocentas páginas). E, para tanto, a editora estará me entregando ao preço de 40 reais e recomendou que eu devesse vendê-lo ao preço de 100 reais. Porém, irei vender essa obra, apenas a 50 reais. Entendeu? O livro custa 50 (cinquenta reais), não perca!!!

Agradece: Edson Batista, escritor da obra.


Além de autoridades presentes: juízes, advogados, doutores, deputado, prefeito, ex-prefeitos, vice-prefeitos, escritores, professores e comunidade geral, estará conosco a UFRN representada pelo Dr. José Daluz, UNEC Dr. Edson Batista dos Santos Júnior e o editor, Cleudivan.

No RN, Concurso da Saúde é aberto com 404 vagas; salário de até r$ 4.081,49


A partir do dia 15 deste mês e até 15 de fevereiro próximo estarão abertas as inscrições para o concurso que o governo do Rio Grande Norte está realizando para provimento de 404 vagas na Secretaria de Saúde Pública (Sesap-RN), sendo 176 para nível médio e 228 para nível superior. Os convocados irão reforçar os quadros da secretaria nas unidades de saúde onde há carência de pessoal.

O concurso (regido sob o edital 001/2018) está sendo realizado por meio da Secretaria da Administração e dos Recursos Humanos (SEARH) e será executado pela Comperve. As inscrições serão feitas exclusivamente pelo site da Comperve (www.comperve.ufrn.br) a partir das 8h00min do dia 15 de janeiro até às23h59min do dia 15 de fevereiro de 2018, observados o horário local de Natal. As oportunidades são para nível médio e superior. As remunerações variam de R$1.030,26 a R$4.081,49.

Serão disponibilizadas vagas para: 

NÍVEL MÉDIO:

Assistente Técnico em Saúde, 
Técnico de Biodiagnóstico, 
Técnico em Enfermagem, 
Técnico em Radiologia,  

NÍVEL SUPERIOR:

Assistente Social, 
Enfermeiro, 
Engenheiro Biomédico, 
Engenheiro de Segurança do Trabalho, 
Farmacêutico, 
Farmacêutico Bioquímico, 
Fisioterapeuta, 
Fonoaudiólogo, 
Nutricionista, 
Psicólogo, 
Administrador, 
Contador, 
Terapeuta Ocupacional, 
Médico Anestesista, 
Médico Cardiologista, 
Médico Cirurgião Geral, 
Médico Cirurgião Pediátrico, 
Médico Cirurgião Torácico, 
Médico Cirurgião Vascular, 
Médico Clínico Geral, 
Médico Endoscopista, 
Médico Gastroenterologista, 
Médico Ginecologista e Obstetra, 
Médico Hematologista, 
Médico Infectologista, 
Médico Intensivista, 
Médico do Trabalho, 
Médico Nefrologista, 
Médico Neonatologista, 
Médico Neuroencefalografista, 
Médico Neurocirurgia, 
Médico Neurologista Pediátrico, 
Médico Neurologista, 
Médico Ortopedista, 
Médico Patologista, 
Médico Pediatra, 
Médico Pediatra Intensivista, 
Médico Pneumologista, 
Médico Psiquiatra, 
Médico Psiquiatra Infantil, 
Médico Ultrassonografista,  
Médico Urologista.

Provas

As provas serão aplicadas no dia 15 de março de 2018. Para os cargos de nível médio serão aplicadas provas de Língua Portuguesa, Raciocínio Lógico e Matemática, Conhecimentos sobre o Sistema Único de Saúde (SUS) e Conhecimentos Específicos da área escolhida. Para os profissionais de nível superior, além das provas já citadas, os candidatos serão submetidos à prova de títulos conforme documentação comprobatória.

VEJA O  EDITAL!